quinta-feira, 1 de julho de 2010

Medos: enfrentar ou desistir?

Se eu sentasse ao seu lado e contasse toda a história da minha vida, você ouviria e questionaria? Ou você só fingiria prestar atenção? Tenho medo da resposta. Tenho medo da sua ação e da minha reação logo depois.

Sempre tive problemas com minhas reações. O fato de agir sem pensar, de responder o que apenas está na ponta da língua, muitas vezes fez você se machucar ou se fechar por um tempo.
E eu odeio quando você se fecha, odeio ver você com essa cara de quem tá chateado comigo. Esse foi um dos motivos que me fez fugir e agora estou aqui. Com telefones desligados, lágrimas nos olhos e um ar de arrependimento contínuo.
Talvez, fora mais um ato sem pensar. Mas tenho medo demais pra voltar atrás. Olhar de longe é a única coisa que posso fazer, me esforçar ao máximo pra não deixar de sentir você.
Olhando para as luzes da cidade, busco fé e forças, enfrentando o maior de todos os meus medos. Será que você virá me procurar? Ou será, que eu estava certa todo esse tempo? Tento entender, se o nosso amor só estava de pé porque eu segurei com minhas próprias mãos.
Vai ver, foi mesmo assim... Eu seguro nós dois, Atlas segura o céu. Mas você, segura o que?
Texto para Bloínquês, 23ª edição visual.

2 comentários:

Alice disse...

Muito lindo o seu texto
"Eu seguro nós dois, Atlas segura o céu. Mas você, segura o que?"

amei mesmo!

Thizi disse...

Que tenso!
Ter de segurar por contra propria um sentimento tão delicado e ver que talvez não você está fazedno parte disso sozinha é triste!

www.flickr.com